Quando a criança está na fase de alfabetização é comum que os pais saibam como ajudá-las a potencializar essa aprendizagem; o mesmo acontece para quando a criança está aprendendo a falar, andar ou aprendendo cores e números. Mas e o que fazer para estimular os pequenos a terem autocontrole, flexibilidade, estabelecer prioridades etc? Essas habilidades, assim como outras, fazem parte das chamadas funções executivas.

O que são?

É um conjunto de habilidades necessárias para controlar e regular nossas emoções, pensamentos e atitudes diante de diferentes situações. As funções executivas nos ajudam a criar, seguir, acompanhar e, se necessário, corrigir um plano de ação. Apesar de parecer algo distante, tudo isso faz parte de nosso dia a dia e é o que nos ajuda a realizar tarefas simples.

Os adultos podem treinar e melhorar suas funções executivas, no entanto, estimular isso ainda na infância é importante para que seu pequeno tenha mais facilidade para lidar com suas emoções, aprenda a criar pensamentos mais lógicos e coesos, e, tenha maior facilidade em resoluções de conflitos.

As funções executivas podem ser divididas em três diferentes categorias, sendo elas:

  1. Autocontrole

É o clássico pensar antes de agir. Quando dominamos essa habilidade conseguir conter impulsos e avaliar os riscos e decorrências de nossas ações. Mesmo sem saber, você já está estimulando que seu pequeno desenvolva essa habilidade quando você ensina que toda ação tem uma reação.

  1. Memória operacional

Essa é a memória de trabalho, ou seja, a habilidade de manter uma informação gravada pelo tempo necessário de usá-la na solução de um problema ou para fazer a relação de ideias. Quando, por exemplo, quando precisamos estabelecer prioridades, vincular ideias, ou incluir novas informações a um conhecimento antigo.

  1. Flexibilidade cognitiva

É a capacidade de pensar de forma criativa e de se adaptar diante de novos cenários e contextos. Ter flexibilidade cognitiva significa ter criatividade para resolver problemas e ter agilidade e maleabilidade em diferentes situações.

Cada uma dessas categorias tem papel fundamental no nosso desenvolvimento e irá nos impactar por toda nossa fase adulta. A infância é o período em que estamos desenvolvendo tudo isso, portanto, melhor fase para que pais, cuidadores e educadores estimulem, prevenindo possíveis dificuldades em sua aquisição.

E como criança aprende brincando, nada melhor que usar jogos e brincadeiras para isso. Jogos de tabuleiro como Damas, Ludo, Resta Um e Xadrez, cada um com sua complexidade, claro, mas todos podem ser boas opções. Todos exigem que as crianças aprendam e se lembrem de regras, façam planejamento a longo prazo, antecipe jogadas e adapte sua estratégia.

Related Posts

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.