Um berço lindo aqui, uma poltrona ali, quadrinhos na parede… Decorar o quarto da criança é divertido e emocionante. São diversos aspectos a serem pensados para que o ambiente seja aconchegante, seguro e, ao mesmo tempo, propício para a imaginação e estimulante para o desenvolvimento.

O segredo está em focar na criança – mesmo. O quarto deve ser seguro, confortável, e estimulante. Outros pontos também ajudam a torná-lo o melhor lugar para brincadeiras e aprendizagem. “A primeira coisa que os pais devem pensar em criar ou recriar um espaço infantil é na organização, pois ela interfere diretamente no aprendizado. A criança precisa saber onde está cada coisa, pois o tempo dela no quarto deve ser para brincar e aprender, e não para tentar achar coisas”, aconselha Fabiana Visacro, psicóloga, design de interiores, e mãe de duas meninas. Saiba o que você pode fazer para montar um quarto favorável ao desenvolvimento:

 

Que tal sem berço?

Parece loucura, mas muitas famílias já apostam em quartos com colchões no chão – ou camas baixinhas. A ideia é favorecer a autonomia da criança, que deita e levanta a hora que quer – sem precisar chamar os pais. Algumas famílias optam por essa alternativa desde quando o bebê nasce, outras se sentem mais seguras alterando o quarto para esse “modelo” quando o bebê já engatinha, por exemplo. Alguns recursos podem (e devem) ajudar na questão da segurança, como almofadas na lateral da “cama”, portãozinho na porta do ambiente, babá eletrônica…

 

Aposte em elementos lúdicos

Ao invés de pensar no que o adulto acha bacana, que tal pensar no que é bacana para a criança? Um quadro negro numa parede, por exemplo, estimula a ludicidade e as funções manuais, assim como um tapete de borracha favorece as brincadeiras e é seguro para possíveis quedas. E que tal um espelho para a criança se enxergar e se conhecer? Ele pode ser colocado na horizontal, ao lado do colchão, por exemplo.

 

Tudo na altura de quem usa

Ao invés de colocar as coisas no alto, itens de decoração ou de uso diário devem estar ao alcance do dono do quarto, afinal é ele quem vai usufruir de tudo, certo? Livros e brinquedos devem ficar em prateleiras numa altura que facilite o acesso ou até mesmo em cestos no chão. Quadros e adesivos de parede na altura do olhar da criança. Outra ideia é criar um espaço dedicado a trocas de roupa, com cabideiro ou gavetas baixas (fáceis de abrir), com tudo o que a criança pode mexer e tentar vestir.

 

Organize

Um espaço organizado favorece ainda mais a autonomia. Num quarto organizado, a criança desenvolve o senso de organização, entendendo a diferença de investir e de gastar o seu tempo. Mas isso não acontece apenas colocando as coisas no lugar. É preciso pensar no que a criança usa, e setorizar brinquedos e acessórios pensando nisso.

 

Se a criança cresce, o quarto cresce junto

Simples assim. E não é só a altura das coisas que cresce não! As necessidades da criança mudam com o tempo, as brincadeiras também, e traços da personalidade vão ficando mais claros. Especialistas recomendam ir recriando o ambiente, assim ele sempre estará adequado aos interesses atuais da criança.

 

Leia mais

4 curiosidades sobre a brincadeira das crianças

Os benefícios que a música traz desde cedo

O medo do seu filho vai além do normal?

2 Responses

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.